quarta-feira, julho 22, 2015

Jogo promove conservação e uso consciente da água


O jogo “Espelho das Águas”, criado pelo Núcleo de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semad), pretende levar informações e sensibilizar a sociedade em geral sobre o uso consciente da água. O nome Espelho das Águas faz referência ao Planeta Terra, que possui uma superfície coberta por cerca de 71% de água, formando um grande espelho. 

A criação do jogo contou, também, com a parceria do Instituto Estadual de Florestas (IEF), da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), da Polícia Militar e do Governo de Minas Gerais. 

O tema escolhido - que possui a água como foco, devido à crise hídrica atual - foi criado para ser um dos materiais didáticos utilizados no curso de Multiplicadores em Educação Ambiental, ministrado pelo Núcleo de Educação Ambiental da Semad. 

Com linguagem e mensagem acessíveis a qualquer tipo de público, o jogo é um método de aprendizagem tanto para crianças e adolescentes, quanto para a sociedade como um todo, de forma que o professor ou o educador ambiental venham a incrementar as suas informações junto ao seu público alvo durante a aplicação.

Segundo Ricardo Cottini, um dos autores do projeto e analista ambiental da Semad, o jogo informa e sensibiliza o público sobre o uso consciente da água, para que estas percepções e novos modos de agir façam parte da sociedade em seu cotidiano. 

“É um jogo simples e claro até mesmo para a família brincar, aprendendo com seus filhos e demais familiares.” comenta Cottini. 
Em meio a um cenário de crise hídrica, a temática do jogo gera debates e proporciona o aprendizado de questões comuns no dia a dia da sociedade, que fazem toda a diferença para a conservação e o uso consciente da água.
Para Cottini, uma reforma no pensamento é necessária para que as pessoas possam absorver e perceber o caos da situação e, assim, gerar mudanças em seus comportamentos e atitudes. 

“A água é um recurso essencial para a nossa vida, das plantas, dos animais e para muitas de nossas atividades produtivas como seres humanos. Sua proteção é uma necessidade vital, como também uma obrigação moral da sociedade, com uso racional, precaução e parcimônia, além de políticas públicas de gestão, com responsabilidades individuais e coletivas.” afirma Cottini. 
Aparentemente, há uma grande quantidade de água no planeta para o consumo, porém, apenas 1%, aproximadamente, está acessível para o uso imediato, visto que a maior parte da água concentrada em nosso planeta é salgada.
“Assim como passageiros dessa grande espaçonave Terra, devemos saber como colocar em prática modos de vida onde um simples ato de tomar banho, escovar os dentes ou fazer aquela faxina em casa, podem fazer toda a diferença.” concluiu Ricardo Cottini.
Para fazer download do jogo, clique aqui.

Karoliny Alvarenga
Ascom/Sisema

Nenhum comentário: